origem
Eusébio +10: Novembro 2015

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

telefonema

Meia hora de jogo nas estepes.  Bem bonito... Alguem tem o numero de telefone do Bielsa?  Ouvi dizer que estava sem clube.  Que traga o Pablito para adjunto...

terça-feira, 24 de novembro de 2015

solidariedade

Vou cometer um sacrilégio e prestar a minha solidariedade à equipa do CRAC. Afinal, também nós sabemos o que é não ter treinador.

sábado, 21 de novembro de 2015

Vá lá Rui.... Poupa-nos a isto...

É uma merda andarmos a ser sistematicamente roubados. 
Rui Vitória acaba por se sentir na obrigação de defender o Benfica, quando a única coisa que devia fazer é assumir que afinal isto não é para ele. 

Não jogamos a ponta de um cacete... É confrangedor... Perdemos com o Arouca, perdemos com o Sporting... A seguir vamos perder com quem? Com o Skenderbeu?

oxalá me engane

Mas a estrutura hoje vai levar outra vez na pandeireta.

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Compras

Munta fortes: foram buscar o craque que durante um ano sentou o jogador sensação da Liga Espanhola. 
Agora falta comprarem também o Roberto, o Emerson e o Luis Filipe que até ganham a Champs. 
Fico a pensar que se empandeirarmos o Talisca para a Arábia o gajo é capaz de acabar a pastar no Lumiar. 

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

perceber o jogo

O verao de 1993 foi tramado.  Nao pelo Pacheco, mas porque acabaria de sair da Luz um dos mais cerebrais jogadores de futebol da geracao de ouro, um dos mais influentes medios do Benfica, que tocava na bola como quem acariciava uma crianca: Paulo Sousa.

Depois dessa traicao, nunca mais lhe tive respeito.  Nao obstante, o Paulo Sousa, tirando o episodio lagartico, acabaria por ter uma carreira quase brilhante.  Era um esteio da Juve e do Borrussia, ganhou 2 Champions, e um numero significativo de trofeus. 

Sempre achei que jogadores inteligentes (Paulo Sousa, Rui Costa, Pablo Aimar -- 'a semelhanca de um Guardiola, um Trapatoni) dariam bons treinadores.  O Paulo Sousa esta' a confirma-lo.

Vai acabar por treinar os dragartos porque nos nunca o vamos perdoar.  Mas que o rapaz tem jeito para a coisa, isso ninguem pode negar.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

o paradigma que nao muda

A meu ver, ha' pontos fundamentais na excelente analise do Nuno:

- a inepcia de se jogar com a bola colada ao pe, em passe curto, em circulação (por ausência de médios interiores com essa capacidade), faz com que se jogue constantemente pelas alas.  Ai, Gaitan e Guedes tem o dever de se encostar 'a linha e cruzar.  E' atitude 'a equipa pequena que não sabe o que fazer 'a bola.  Especialmente quando ambos os jogadores são excelentes desequilibradores e não podem andar amarrados a uma posição.  E' uma insistência num modelo de jogo dos primeiros tempos de JJ no Benfica, em que insistia em ter criativos presos a uma posição (DiMaria, Gaitan).  Como isto falhava em resultar, JJ deu asas a esses mesmos jogadores, dando-lhes uma "posição" mas deixando-os fazer o que quisessem.  Foi assim com DiMaria no 3o ano do rapaz, foi assim com Gaitan, foi assim com Markovic, foi assim com Salvio.  RV regrediu nessa interpretação e resulta numa equipa previsível e sem laivos de criatividade;

- O meio campo do Benfica esta' mal escalonado.  Todos percebem isso.  Como se insiste num modelo táctico retrogrado que so' faz escola em Inglaterra (e cada vez menos), fica-se sem saber o que fazer no miolo.  Gaitan e Guedes estao amarrados 'a linha, sobrando as despesas de todo o meio campo para 2 jogadores.  Como e' preciso transportar a bola, então poe-se um 8 e o outro rapaz tem de ajudar na defesa.  O que me faz confusão e' como e' que não se percebe que o futebol moderno mudou para um sistema com (geralmente) 2 pivots defensivos (ver o caso do Barca, do Inter de Mourinho, do Porto de AVB, para exemplos), em que a primeira linha de defesa aparece em frente aos centrais com a devida compensação, e que leva a que possa haver quem depois saiba rodar a chicha.  O Benfica tinha Enzo e Matic que se complementavam por serem 2 monstros incansáveis, mas pedir a Almeida e Talisca/Pizzi para fazerem o mesmo e' ridículo.  Sao bons rapazes, mas fica-se por ai.  Cada vez mais acredito que o Benfica tem de jogar num 4-2-3-1 ou num 4-1-2-2-1, o que levanta um outro problema (ja' la' vou).  Como o meio campo esta' descompensado, transições rápidas resultam em chutao para a frente e esperar que alguém faca alguma coisa.  Porque tanto Almeida como os outros 2 camones não são capazes de ajudar num futebol sustentado e pensado.

- o pensar do futebol passa, como e' obvio, por um criativo.  por um Aimar.  o modelo de jogo do Benfica não permite ter um Aimar (e, digo ja', não sei quem seria esse Aimar:  Djuricic parece não ter cabeça para grandes andanças, e putos da B não tem pedalada para estas coisas ainda.  Sobra Taarabt, que me faz lembrar o Sabry/Yuran na maneira em como aborda a carreira: fuck it).  O que daqui resulta e' que se pede ao nosso melhor avançado (Jonas) que faca de 8, 9 e 10 ao mesmo tempo.  E' muito.  E resulta em perder poder de fogo e criatividade/capacidade de passe/decisao onde se precisa.  Ou seja, mais uma vez devido a um modelo de jogo incapaz, perdemos 1 jogador, perdemos clarividência, o que nos leva muitas vezes a perder um ala (Gaitan).

- E claro, um dos grandes problemas do Benfica chama-se Jonas.  Eu não concordo que Jonas tenha de sair para que se adopte um 4-3-3.  Veja-se o Porto de Falcao e percebe-se que um avançado móvel pode fazer a posição de homem de area muito bem sozinho.  E' so' ter vontade.  E acho que RV, se quisesse mudar o paradigma tático do Benfica de hoje, poderia olhar para algumas das equipas que jogam em 4-3-3 sem avançados fixos 'a la' Cardozo/Mitroglou/Jimenez.  Olhe-se para o Barca, outra vez, para algumas instancias do Liverpool de El Nino, para o Sporting de Marco Silva, por exemplo.  Excelentes finalizadores, moveis, abrindo espaços na defesa por capacidade inata de atrair os defesas, deixando que outros possam fazer estragos.  E letais no contra ataque.

Ou seja, concordo com tudo, Nuno.  Muitos dos problemas, a meu ver, passam pelo esquema tático e pela falta de tomates para alterar o paradigma.  Continuamos com um meio campo vazio de ideias e de homens, continuamos a não saber o que fazer 'a bola, continuamos a pedir aos santinhos que Gaitan e Jonas não se lesionem senao ninguém sabe mesmo o que fazer com a chicha.  A meu ver, e escrevi isto logo em Junho/Julho, o Benfica teve uma oportunidade de ouro, não aproveitada, para testar e mudar para o 4-3-3/4-2-3-1/4-1-2-2-1.  Tenta'-lo agora e' assumir que se perdeu tempo, e por isso não o vamos fazer.  O que significa que vamos andar uma época inteira a contar quantos cruzamentos fizemos (a tirada dos 50+ cruzamentos contra o Arouca foi uma aberração que nem sei como foi dita...) e a tentar tapar o sol com a peneira para que não se vejam os erros maiores...

Quem jogava nesse 4-3-3?  Muito se pode especular, mas eu faria:  JC, Lindelof/Nelson Luisao Jardel Eliseu/Silvio, Cristante Almeida, Gaitan Guedes Pizzi/Sanches?/Djuricic?, Jonas.

Novembro

A época comecou há quatro meses.
Nao sabemos defender. Cada vez que o adversário entra na nossa área com a bola corrida, é defesa impossível do grandenorme Júlio César ou golo.
Nao sabemos atacar com a bola controlada. É centros à parva ou chouricos do meio da rua. E depois ficamos muito "ah e tal, fizemos tres milhoes de remates e nenhum deu golo". Sim, mas dos tres milhoes nem um foi feito em condicoes de sucesso provável.
Nao sabemos contra-atacar. Ontem fui espreitando o jogo, e na segunda parte, depois do 2-1, por duas ou tres vezes a equipa recupera a bola (sem saber como, pareceu-me...) e desatam a correr para a outra área em situacao de 2x1, apenas para nao saberem como passar a bola de forma a criar uma situacao 1x0 e em vez disso acaba-se a rematar contra o guarda-redes/defesa/pino qualquer que esteja no caminho.
A atacar, é perdas de bola estúpidas, barrotes ou cantos.
A defender, é mais ou menos ver o jogo sem pagar bilhete.
O André Almeida é um rapaz porreiro, e um suplente com muito valor para desenrascar a situacao, mas para titular é muito, muito curto.
Grande Imperador.