origem
Eusébio +10: Fevereiro 2008

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

insonias

Nada com uma insonia às 4 da manha para me fazer regressar ao activo.

Toca então a fazer um resumo do que se tem passado no Benfica nas ultimas semanas:

blablabla Luis Filipe blablabla blablabla milagre de Nuremberga blablabla não temos fio de jogo blablabla o Mantorras é melhor que o Makukula blablabla etc e tal...

Pois... não há rigorosamente nada a dizer e bem faz o Camacho quando repete milhares de vezes por semana "no futbol o gol es que conta". Se eu fosse treinador de uma equipa que não faz a mais pequena ideia do que está a fazer em campo, de facto limitava a minha análise ao facto de termos conseguido ou não enfiar o esferico na baliza.

Confesso no entanto que o Camacho pouco me irrita. Quem me incomoda verdadeiramente é o Luis Filipe... nao, não é esse, o que faz assistências para os adversários, é o outro, o que está na bancada, que se me volta a dizer que estamos a entrar num novo ciclo de grandes vitorias ainda engulo o cartão de sócio. É inacreditavel como o universo benfiquista se envolve nas discussões mais fúteis do género "temos de jogar com 2 pontas de lança e dois alas e mais o Rui Costa com o Mantorras no apoio...." e não percebem que o estado patético que atingiu a nossa equipa de futebol tem apenas um responsável (não, não é esse Luis Filipe... nem o Camacho...).

Isto revela muita pequenez da minha parte, mas ando a considerar sinceramente fazer-me socio do sportem... é que as unicas alegrias que vou tendo nestas coisas do pontape na bola ainda são os lagartos que mas dão... sinto-me mal, acho que devia contribuir.

Mais coisas para dizer.... equipa para o jogo de domingo. Quim na baliza, Defesa composta por Nelson, Luisao, Es Carlos, Zoro, Katsouranis e Leo. Meio campo com Bynia. Ataque Cardozo, Makukula e Mantorras. Táctica: chutar a bola com a maior força possivel no sentido da baliza adversária.

Outra... a situação em torno da agressão ao comentador desportivo Rui Santos deixa-me duplamente triste. Triste porque acho lamentavel que este tipo de acontecimento se verifique e por este estar cada vez mais enraizado na nossa cultura futebolistica. E ainda mais triste por não ter sido eu um dos gajos do barrote. Foram muitas as vezes em que assisti ao programa do Rui Santos numa futil tentativa de ver um resumo de um jogo e tive de gramar com os comentarios mais cretinos que alguma vez ouvi num programa televisivo (vindo de uma estação que alberga o Dias Ferreira não é facil). Sonhei tantas vezes fazer uma espera ao Rui Santos com um barrote de madeira.... bom, espero é que ninguem se lembre de fazer o mesmo ao MST às portas da TVI antes de mim!

Está a vir o sono, tenho que acabar... estou mesmo a ver que assim que adormeçer vai acordar a minha pequena... sim, a mais nova... porque já somos 6 milhões e dois... confesso que sinto que ando a fazer mais pelo Benfica que o Luis Filipe... o dos caracóis. Ainda não cadastrei esta miuda, tenho que arranjar tempo para ir tratar da papelada... mas esta não engana, corre-lhe nas veias... deviam ver como adormece que nem um anjinho quando lhe canto as papoilas saltitantes. Um pai sente muitas angustias, mas estou confiante, perdoem-me a falta de modestia, mas quando a mais velha tapa o nariz quando passamos pelo Campo Grande até me vêm as lágrimas aos olhos.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Mas memorias

Hoje, antes do jogo que acabou de acabar, lembrei-me daquela triste epoca em que jogamos contra o PAOK de Atenas para a UEFA. A eliminatoria foi decidida em penalties, e no fim a malta ganhou. Houve pessoal do Benfica a festejar de tal modo que parecia que tinhamos acabado de ganhar a trigesima oitava liga dos campeoes consecutiva.
Hoje empatamos (!!!!!) com o nonagesimo quinto classificado do campeonato alemao, que despediu o trinador ha duas semanas e esta num desastre total. Quase conseguiamos perder a eliminatoria, mas depois num bamburrio qualquer, safou-se a macacada. E parece que houve jogadores que se ajoelharam no chao, no fim do jogo, e que se fez uma festorra.
Iamos perdendo uma eliminatoria contra o Nuremberga, terra famosa pela qualidade das suas salsichas, mas dificilmente pela qualidade da equipa local de futebol.
Contra o Nuremberga. O Nuremberga. Nuremberga. Nuremberga. Nuremberga. Nuremberga.
So me apetece chorar. A serio.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Questoes de tempo

As ultimas noticias que tenho lido acerca do nosso clube nao sao famosas. Diria mesmo que ando um pouco incomodado com a atitude da direccao do clube em relacao a alguns jogadores. Passo a explicar.

O Leo esta' no Benfica ha' 4 ou 5 epocas. Preencheu um lugar que durante muitos anos foi o calcanhar de Aquiles da nossa turma (talvez mesmo desde o tempo do Alvaro). Faz aquela posicao como ninguem, e' um jogador exemplar e tirando um cartao vermelho por bater palmas a um fiscal de linha, pouco ha' a apontar a nivel disciplinar. O Leo e' um dos poucos jogadores (a par do Petit, do Nuno Gomes, do Quim e do Rui Costa) que personificam a mistica benfiquista. A direccao achou por bem nao renovar o contracto do Leo, ainda nao se sabe bem porque. Eu, pessoalmente, gostaria que o Leo ficasse no clube ate' ao fim da carreira dele. Nao e' por ter 32 anos que esta' velho. Mas acredito que esta direccao fosse capaz de despedir o Maldini, se este vestisse o manto sagrado.

O segundo caso gritante e' o do Rodriguez. Chegou, partiu a loica, conquistou todos os aneis da Catedral. Ainda nao percebi o porque de tanta demora na compra do passe do homem. Ontem ja' vinham noticias a dar conta do interesse dos porcos no Rodriguez. Assim, nao ha' mistica que aguente. Renove-se, compre-se, faca-se o que se quiser, mas o Rodriguez e' jogador para ficar! E' assim tao complicado ver isso? Havera' assim tantos mais interesses que nos escapam que impedem o Rodriguez de ficar no Glorioso por mais 20 anos?

Ou sera' que nenhum dos 2 justificou o investimento feito? Quanto mais tempo precisarao eles para que o corpo directivo perceba que sao jogadores como eles que fazem o publico ir ao estadio?

Nota 'a direccao: esta' na altura de abrir os olhos!

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Audacia

Isto 'a partida nao tem nada a ver com o Benfica, mas no fundo tem tudo.
E embora haja aqui neste espaco pelo menos duas pessoas mais qualificadas que eu para discutir politica dos EUA, tenho que dizer que penso eu de que:

- a historia da audacity of hope e', nada mais, nada menos, que aquilo que faz o Estadio da Luz levantar-se cada vez que o Mantorras vai aquecer, e aquilo que faz acreditar o Mantorras cada vez que entra em campo. Portanto, estou a torcer para que o Obama, que e' do Benfica so' que ainda nao sabe, ganhe aquela cena.

- ate' porque se ele nao ganhar 'a Hilaria, vamos ter que gramar com mais um impotente sexual que se vinga a bombardear tudo e todos a tomar conta daquela cena durante pelo menos mais quatro anos...

No fundo, isto e' uma cena so' para motivar o Freddy Adu.

Benfica esmaga. E nao falemos de coisas tristes como aquela cena triste de sabado 'a noite. Senao a Hilaria ainda fica outra vez com uma lagrima no canto do olho.

(Para a semana vou em missao tecnico-tactica 'a terra onde esta' agora um preto louro que quando estava no Benfica podia jogar a tudo menos a lateral direito e assim que se foi embora descobriu que o que ele gostava mesmo era de jogar a lateral direito. Assim sendo, decidiu que ia para os US e despediu-se dizendo "I'll be right back.")

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

O pormenor da semântica e a maldicão da bracadeira

A maldicão
Há uns anos comecei a fazer um estudo de natureza eminentemente empírico, por na altura não haver factos com estatística suficiente para serem mais que observacões avulsas. O primeiro da leva foi, acho eu, o Fernando Meira, tinha usado a bracadeira em quatro ou cinco jogos. A seguir foram mais não sei quantos (entretanto fui descuidando as notas). O Miguel-mete-nojo usou a bracadeira para ai' durante meia-hora e foi logo andando. O Tiago acho que ainda chegou a usar a bracadeira. Agora o Nuno Gomes, #1 da hierarquia, parece que quer ir ali. Está visto que se ele se for embora, o Petit não aguenta mais que seis meses e que o Luisão se mete no primeiro avião que lhe aparecer. Não se pode usar outra coisa qualquer para demarcar o capitão? Um boné, ou assim... Claro que também o podemos mandar jogar para o Charlton ou contratar um treinador que nunca o deixe jogar só para ele se dedicar a director de relacões internacionais e assim o afastar do balneário. Assim, não há mística que aguente...


O pormenor
Chegou o novo D. Sebastião (que ninguém se cansa de repetir, vezes sem conta, que foi pedido pelo Camacho, tão insistentemente que eu comeco a desconfiar da necessidade... e que o Camacho ficou muito contente com a contratacão... e que o cumprimentou no balneário... nada se disse foi sobre potenciais manifestacões de afecto, tipo "deu duas valentes beijocas nas ossudas bochechas do luso-africano" ou "o carácter íntimo do enrolar de línguas só foi interrompido pelo ligeiro afagar da nádega esquerda do reforco pela mão direita do espanhol"). (Enfim, isto os envolvidos que desculpem a parvoeira, mas não se aguenta com a jornalada... nem A Bola se escapou a esta...). Bom, mas a ideia não era falar sobre a chegada do Makukula per se, tanto mais que ele parece um bom rapaz e se promete trabalho é bem vindo, que trabalho nunca é demais para aquela malta. Hoje vem na imprensa que ele terá dito "Sinto-me entre os melhores do mundo". É aqui que entra a cena da semântica. Um dia, as coisas hão-de voltar à sua ordem natural, e então um jogador do Benfica vai dizer "Estou entre os melhores do mundo". Mas, para já, a sensacão já não é má de todo. Mesmo que as sensacões sejam subjectivas.

Quantas espetamos aos amigos dos bimbos que jogam com a camisola da Juve? Eu digo 28-0 mas... ora, que se lixe o pessimismo: 39-0 e ao intervalo já lá estão 25.

Esmaga e tritura.